Mitos e verdades sobre a lipoaspiração

Saiba o que é falso e verdadeiro a respeito da lipoaspiração, a cirurgia plástica mais realizada no Brasil

Mitos e verdades sobre a lipoaspiração devem ser esclarecidos antes de se submeter à cirurgia plástica.

A preocupação com estética, com o corpo perfeito e a constante busca pelo emagrecimento fazem do Brasil o segundo país do mundo em número de cirurgias plásticas, atrás apenas dos Estados Unidos. A Revista da Mulher ouviu especialistas para tirar todas as dúvidas a respeito dos mitos e verdades sobre lipoaspiração, o tipo de cirurgia estética mais realizada no país.

Este tipo de cirurgia plástica consiste na retirada de gordura sob a pele, através de uma cânula, por aspiração. Mas entee os mitos e verdades sobre a lipoaspiração está a associação do procedimento a resultados milagrosos, como uma barriga lisinha logo após a cirurgia. Para evitar frustrações, é bom saber para que serve a cirurgia.
“O objetivo da lipo é modelar o corpo, removendo os depósitos de gordura excedentes que se acumulam em locais mais comuns do corpo, como cintura e culotes”, explica a médica cirurgiã-plástica Monica Okamoto.
Também se trata de um procedimento de risco baixo a moderado, diz o cirurgião-plástico Alexandre Barbosa. O médico esclarece mais uma questão recorrente sobre esta cirurgia estérica. “Raramente a lipoaspiração traz sérias complicações, desde que realizada dentro de critérios técnicos ou quando não está associada a outras cirurgias feitas simultaneamente”, diz o cirurgião-plástico.

Veja 6 mitos e verdades sobre a lipoaspiração

1) Lipoaspiração serve para emagrecer. MITO.
“É claro que, como consequência da retirada de uma quantidade de gordura, há uma diminuição de medidas, mas não visa ao emagrecimento”, orienta a cirurgiã-plástica Monica Okamoto. O aspecto poderá ser de redução de peso para algumas mulheres, pois a lipoaspiração remodela o corpo.
2) Volume de gordura retirada é controlado. VERDADE.
Segundo recomendações da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), a quantidade de gordura retirada na lipoaspiração deve ser entre 5% a 7% do peso corporal.
3) É mais perigosa que outras cirurgias plásticas. MITO. 
“O risco cirúrgico não maior nem menor que qualquer outra cirurgia. Entretanto, é importante levar em conta que grandes volumes retirados ou a associação a outros procedimentos cirúrgicos (como a abdominoplastia) poderão determinar riscos, tanto no ato operatório quanto no pós-operatório”,  orienta cirurgião-plástico Alexandre Barbosa.
4) Lipoescultura e lipoaspiração são diferentes. VERDADE.
Enquanto a lipoaspiração consiste em retirar as gorduras acumuladas em regiões do corpo, a lipoescultura usa a  gordura retirada na lipoaspiração para dar volume ou preencher outros locais do corpo, como o bumbum ou a face, com fins estéticos.
5) A paciente não volta a ter barriga.  MITO.
O fato é que a  lipoaspiração geralmente corrige aquele excesso de gordura sobre a região do estômago ou abdômen, mas se a paciente ganhar peso as formas podem ser modificadas e a região lipoaspirada voltar a acumular gordura. A boa notícia é que as áreas lipoaspiradas vão sempre ganhar formas mais bem definidas, mesmo que se ganhe certo peso depois.
6) Drenagem Linfática é fundamental após a lipo. VERDADE.
A drenagem linfática é como a continuação da cirurgia de lipoaspiração. O procedimento deve ser realizado por profissional experiente. “A drenagem reduz os edemas e, principalmente, previne a formação dos nódulos cicatriciais, comumente chamados de fibroses”, explica a cirurgiã-plástica Monica Okamoto.
Copyright foto: iStock
Por Ana Paula Cardoso para o site A Revista da Mulher.
Share